(11) 5573-9175 • (11) 5575-6314 • (11) 5573-8940 canaldireto@colegiomirassol.com.br

Palavra da Nutricionista

A formação da alimentação infantil e sua importância

A alimentação saudável, além de proporcionar prazer, fornece energia e vários nutrientes que o corpo precisa para crescer, desenvolver e manter a saúde. A alimentação deve ser a mais variada possível para que o organismo receba todos os tipos de nutrientes.

Alguns fatores podem interferir na formação do hábito alimentar na infância durante os períodos da alimentação materna, alimentação mista e da alimentação escolar. Tais fatores foram divididos em dois grupos: fatores fisiológicos e fatores ambientais.

Entre os fatores fisiológicos estão incluídos: experiências intra-uterinas, paladar do recém-nascido, leite materno, neofobia e regulação da ingestão de alimentos. Os fatores ambientais foram subdivididos em: alimentação dos pais, comportamento do cuidador, condições socioeconômicas, influência da televisão e alimentação em grupo.

O entendimento dos fatores determinantes possibilita a elaboração de processos educativos, que são efetivos para mudanças no padrão alimentar das crianças. Tais mudanças irão contribuir no comportamento alimentar na vida adulta.

A aprendizagem é fator importante na aceitação dos novos alimentos e está cientificamente provado que existe relação direta entre a frequência das exposições e a preferência pelo alimento.

A exposição repetida à prova de alimentos não familiares é uma estratégia promissora para promover preferências e prevenir rejeições alimentares por crianças. São necessárias de 5 a 10 exposições a um novo alimento para se ver um aumento na preferência pelo mesmo.

A rejeição inicial ao alimento muitas vezes é erroneamente interpretada como uma aversão permanente ao mesmo e este acaba sendo excluído da dieta da criança. Pesquisas têm mostrado que quanto mais cedo for a experiência de introdução dos alimentos menor será a neofobia por alimentos – medo de experimentar alimentos novos.

As escolas são também ambientes ideais para programas de educação nutricional. As atividades que enfocam as relações do mundo real da criança com o alimento são mais prováveis de produzir resultados positivos. Participar de jogos que ensinam nutrição, experimentar novos alimentos, participar do preparo de alimentos simples e plantar uma horta são atividades que melhoram os hábitos e desenvolvem atitudes alimentares positivas.

Durante esse ano de 2017, meu objetivo é trabalhar em parceria com os pais e responsáveis os fatores ambientais, como a influência familiar e o reforço positivo no momento da alimentação.

Iniciamos um projeto nutricional no colégio que visa o incentivo a experimentar novos alimentos!

Não é uma tarefa fácil, pois é necessário persistência e insistência!

Estou à disposição para quaisquer dúvidas.

Silvana Maiumi Wada – Nutricionista – CRN 13317/P


Alimentação na infância

NutriA alimentação da criança, desde o nascimento e nos primeiros anos de vida, tem grandes repercussões ao longo de toda a vida, sendo a mesma considerada um dos fatores mais importantes para a saúde da criança. Durante esta fase, além de suprir as necessidades nutricionais, também é uma das principais formas de contato com o mundo externo. A criança também terá contato com os alimentos artificiais expostos no comércio de alimentos. As preferências familiares influenciam no paladar e possíveis gostos desta criança, por isso aconselha-se que os pais e responsáveis tenham uma postura o mais imparcial perante a rejeição de qualquer alimento, para que não haja a influência nos hábitos tardios desta. A educação alimentar inicia-se em casa e deve ter continuidade na escola.

As crianças aumentam gradualmente sua aceitação em relação a novos alimentos, mas a quantidade é aumentada lentamente. Pais que oferecem uma variedade de alimentos proporcionam uma dieta nutricional balanceada e o desenvolvimento de bons hábitos alimentares desde a infância garante aos seus filhos um futuro mais saudável.

À medida que a criança começa a frequentar outros ambientes, como a escola, vai iniciando uma intensa socialização, onde novas influências serão exercidas. Nessa idade há uma grande tendência de repetir o comportamento de professores e de outras crianças, que podem ser bons ou ruins. Com isso, vale ressaltar a importância da alimentação na escola, pois é neste local que a criança terá contato com outras pessoas e formará seus hábitos alimentares.

Necessidades nutricionais

Uma alimentação equilibrada deve fornecer nutrientes para a manutenção do organismo. Para tal é preciso seguir três princípios:

  • Alimentos de todos os grupos

A escolha de alimentos de todos os grupos alimentares  permite que uma grande variedade de nutrientes, necessários ao organismo, esteja presente na alimentação da criança. O corpo precisa de carboidrato, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais. Sendo assim, nosso prato deve ser composto por todos esses nutrientes.

Ex.: arroz, feijão, carne, legumes e verduras. Fruta de sobremesa.

  • Proporção adequada de alimentos 

O organismo para funcionar bem precisa de muitos tipos de nutrientes. Os alimentos que compõem a alimentação da criança devem ter uma proporção adequada para atender as necessidades nutricionais diárias. Essa proporção deve ser determinada tendo como parâmetros, o peso, a idade e o sexo.

  • Variar ao máximo os alimentos

Variar a ingestão de alimentos é estratégia importante para conseguir suprir todas as necessidades nutricionais diárias, quanto mais colorido for o prato, mais nutritivo. A monotonia faz com que deixemos de consumir todos os nutrientes. Cada alimento tem um peso importante em nosso organismo, com isso essa variação é importante.

Márcia Peron – Nutricionista CRN-13955/P – canaldireto@colegiomirassol.com.br

“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” 1 Coríntios 10:31


 

A importância da Alimentação na infância

comida saudavelComo é de conhecimento geral, a boa alimentação é essencial desde cedo, a fim de manter uma boa qualidade de vida e prevenir infecções e patologias na vida adulta.  Durante os 2 primeiros anos de vida, ocorre intenso e rápido desenvolvimento físico, cognitivo, emocional e social. Portanto, práticas alimentares inadequadas nessa fase podem, no futuro, repercutir de forma negativa no desenvolvimento global das crianças e ocasionar sequelas.

A família, a escola e a sociedade têm a responsabilidade de favorecer a adoção de comportamentos saudáveis nas crianças, para que estas se tornem capazes de encontrar equilíbrio alimentar que repercutam positivamente na adolescência e na fase adulta.

Os pais exercem importante papel como modelo para seus filhos, auxiliando-os nas práticas alimentares e estabelecendo o local, os alimentos e o momento adequado para seu consumo. Porém é importante permitir que a criança utilize os seus próprios recursos, respeitando sempre a sua saciedade; para isso, é importante criar opções atrativas e nutritivas para que elas componham adequada e equilibradamente sua dieta.

A escola desempenha papel fundamental na formação de hábitos de vida nas crianças, sendo também responsável pelo conteúdo educativo global, inclusive do ponto de vista nutricional. A alimentação escolar, tanto na rede pública quanto na rede privada, tem como objetivos: suprir parcialmente as necessidades nutricionais dos alunos, melhorar a capacidade no processo ensino-aprendizagem e formar bons hábitos alimentares.

Quando família e escola exercem seus papéis da melhor maneira possível, a probabilidade da criança ter hábitos saudáveis futuros é enorme, com isso nossa função aqui no Mirassol é trabalhar em equipe com os pais, para assim conseguirmos melhores resultados na questão da alimentação dos nossos pequenos.

Sempre à disposição.

Marcia Peron (CRN-13955/P)

Nutricionista – Colégio Mirassol