(11) 5573-9175 • (11) 5575-6314 • (11) 5573-8940 canaldireto@colegiomirassol.com.br

Devocionais

Judas

Leitura Bíblica: João 13.18-30

Afirmou Jesus: [Quem me trairá] é um dos Doze, alguém que come comigo no mesmo prato (Mc 14.20).

Judas é intrigante: como pôde trair Jesus? Escolhido para o seleto grupo de discípulos, conviveu com ele, presenciou os milagres, ouviu seu ensino. Mesmo assim, não valorizou estes privilégios e a amizade de Cristo. Questionamos sua atitude, esquecendo que podemos fazer o mesmo se rejeitarmos o que Deus nos oferece.

Esta dura traição vinda de alguém tão próximo demonstra uma probabilidade da vida: seremos traídos. Por ter experimentado isso, Jesus nos compreende e pode nos ajudar a superar uma situação assim. Ele sabia antecipadamente que seria traído, pois isso fazia parte do cumprimento de sua missão, e quem o faria. Mesmo assim, não excluiu Judas nem o tratou de forma diferente (por exemplo, também lavou seus pés e compartilhou seu alimento com ele). Amou-o mesmo sabendo o que se passava em sua mente. Judas consumou seu terrível intento com um beijo no Mestre e ainda foi chamado por este de “amigo” (Mt 26.49-50).

Quando somos traídos, nossa tendência é afastar a pessoa de nosso convívio, para que ela não nos machuque mais. É difícil olhá-la novamente com amor, quanto mais perdoar! Neste momento, precisamos não apenas sentir o que Jesus sentiu, mas agir como ele ensinou. É preciso admitir que também somos capazes de rejeitar o amor de Deus e nos voltar aos nossos próprios desejos; que nem sempre estamos dispostos a aceitar o sofrimento e podemos até mesmo culpar a Deus por ele. Ao constatar isso, conseguimos perdoar quem nos traiu e agradecer ao Senhor por não nos tratar como mereceríamos. Ele nunca nos afasta, mesmo quando nós o repelimos. Seu amor e amizade continuam mesmo que ele conheça nossas intenções e nosso pensamento. Ele continua realizando milagres em nossa vida, ensinando e convivendo conosco, apesar da nossa tendência à rebelião ou de nem sempre darmos a atenção devida às suas demonstrações de amor. – Vanessa Weiler Ribas

Condenar Judas não basta: é preciso não agir como ele!

Fonte: https://www.transmundial.com.br/presente-diario/judas-2/